Seminário debate uso de cães na ação policial

Hoje

 Policiais de todo país participam do I Seminário de Cães de Polícia de Curitiba para aprimorar os conhecimentos sobre cães de guarda e de faro...
A Companhia de Operações com Cães (COC), do Batalhão de Operações Especiais (Bope), iniciou nesta sexta-feira (09) o encontro denominado I Seminário de Cães de Polícia de Curitiba, com policiais militares cinotécnicos (especialista na técnica de adestramento de cães) de diversos estados brasileiros, além de profissionais de segurança pública que trabalham com cães, para aprimorar os conhecimentos sobre cães de guarda e de faro.

O evento segue até esta segunda-feira (12), na sede da unidade, no bairro Pilarzinho, em Curitiba. Participam do seminário policiais militares, civis e federais, entre outros órgãos.

“O objetivo é aperfeiçoar e disseminar o trabalho de ação de polícia na segurança pública. Vamos transmitir conhecimentos específicos na área de cinotecnia, tanto na parte prática quanto na parte teórica. Também abordaremos a aplicação de cães na área de faro e de radiopatrulhamento. Especificamente sobre o faro vamos detalhar questões, como busca de entorpecentes, explosivos e de pessoas perdidas ou homiziadas em matas”, explica o major Luiz César Gonçalves que responde pelo Comando do Bope.

De acordo com o capitão Paulo Renato Aparecido Siloto, comandante da Companhia de Operações com Cães, os participantes do seminário terão acesso a um conhecimento aprimorado das técnicas utilizadas de emprego do cão de polícia. “Vamos tratar do adestramento, mas o foco principal é a operação com o cão de polícia, de como vai desenvolver suas missões na atividade policial. O policial vai aprender desde o adestramento básico, a parte da formação do cão na mordedura e também a utilização prática do cão e em quais ações poderá ser utilizado”, ressalta.

“Os participantes do seminário levarão para a casa nossa tradição, já que operamos com cães desde 1971. Estamos muito próximos das melhores polícias do Brasil e vamos fazer uma troca de informações. Este conhecimento vai ser muito importante para todos”, afirma o tenente Kleber Piovezan, subcomandante da Companhia de Operações com Cães.

Durante o seminário o palestrante principal será o cabo Gilson Ferreira Alves, do 3º Batalhão de Polícia de Choque da 3ª Companhia Canil, da cidade de São Paulo (SP). “Trataremos de dois assuntos: parte específica de detecção e a parte de formação de proteção, onde ensinamos ao cão sobre mordida e mobilização. Será uma troca de ideias e uma oportunidade de ver como é o trabalho com cães em outras regiões”, explica.

Segundo ele, o cão é uma ferramenta muito eclética, porém pouco utilizada no Brasil. “Em todo o mundo os cães são usados para diversas situações, inclusive como prova eficaz na condenação de infratores da lei, o que no Brasil ainda nós só temos um caso registrado”, afirmou.

O cabo Gilson explica que os cães podem detectar substâncias, pessoas vivas ou cadáveres, e, no caso do cão policial, pode imobilizar o infrator através de mordida. “É pouco utilizado no nosso país por questões culturais, mas o trabalho vem se desenvolvendo ano a ano e descobrindo que o cão é uma ferramenta extremamente eficaz na atuação policial. Creio que daqui uns 5 a 10 anos nós estaremos equiparados aos melhores do mundo”, diz.

Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.brwww.pr.gov.br