Juiz libera 27 santistas detidos no Paraguai após pagamento de multa

Noticias do dia

Parte do grupo de torcedores santistas detidos no Paraguai na semana passada, após o jogo entre Santos e Cerro Porteño, pelas semifinais da Libertadores, já pode voltar para a casa. Acusados de roubo e vandalismo, 27 deles foram liberados nesta quarta-feira mediante o pagamento de uma multa. Os outros 31 que permanecem detidos também devem ganhar liberdade em breve.

 

O juiz paraguaio Juan Carlos Pane foi quem decidiu liberar os santistas após o pagamento de uma multa no valor de US$ 5 mil (cerca de R$ 7,9 mil). Eles foram detidos na cidade de San Lorenzo, vizinha à capital Assunção, onde foi realizado o jogo, por provocar tumultos e roubar um restaurante. A multa paga pelos torcedores será repassada a instituições de caridade paraguaias.

Do grupo de 58 santistas detidos, outros 31 seguem presos em San Lorenzo. Eles também devem ser liberados mediante o pagamento de uma multa. No entanto, esta servirá como indenização ao proprietário de um restaurante que foi danificado pelos torcedores. A expectativa da juíza Patricia González, que cuida do caso, é de que a liberação acontece ainda nesta quarta.

Todos os santistas que permanecem no Paraguai foram detidos na noite da última quarta-feira, quando tentavam deixar o território paraguaio em dois ônibus fretados. Os torcedores foram interceptados pela polícia, que recebeu denúncias de comerciantes locais.

Um vídeo exibido na TV paraguaia mostra parte da ação dos santistas, que entraram em conflito com torcedores do Cerro Porteño na frente de um restaurante, inclusive agredindo fortemente um deles. Já os santistas também fizeram um vídeo para explicar o ocorrido, em que afirmam estar com a “consciência intacta” e que o conflito foi “necessário” para a “sobrevivência” deles.